Óculos :: a redescoberta de tudo

Julho de 2010

Agora que já se passaram dois dias inteiros com óculos, descobri que mesmo sendo hipermetrope o meu filho via mal ao longe porque vê mal em geral, ou seja, tem mais dificuldade em focar perto mas não é por isso que via bem ao longe. Isto traduz-se em coisas muito simples:
- deixou de resmungar em viagens de carro curtas e deixou de chorar em viagens de carro menos curtas porque agora pode ver a paisagem e, possivelmente, deixou de ficar mal-disposto no carro;
- cansa-se menos e quando está cansado é um cansaço "bom" porque esteve em plena actividade;
- chora menos;
- brinca mais e faz coisas que não fazia antes como meter-se de pé e atirar-se para o chão a fingir que cai;
- interessa-se mais em andar de um lado para o outro o que me faz pensar que brevemente vai andar sozinho.

É incrível com um par de óculos pode mudar a vida a alguém. Para a semana, depois da consulta, vou comprar um par de back-up, uma versão que não parte. Quero que o meu filho tenha a visão assegurada caso os óculos se partam, sobretudo durante as férias e longe de casa.